• aanovo.png
  • BANNER.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

Solidão ou conexão?

Publicado em: 24/03/2020

 

Aos cristãos, estamos na Quaresma, tempo de preparação que antecede a Páscoa. São os quarenta dias antes da grande festa Cristã.

Na natureza, o outono acaba de chegar e suas características já são notáveis. Época de transição entre o quente e o frio.

A astrologia iniciou seu ano novo, sexta-feira dia 20 de março, juntamente com a chegada do outono, na promessa de um novo ciclo a partir do alinhamento dos planetas no sistema solar.

Nós, sociedade, toda humanidade, estamos de quarentena. Isso porque um vírus nos impede de ir e vir. Sim, um vírus tomou a nossa liberdade. Estamos todos em isolamento, isolados uns dos outros.

Quaresma é tempo de oração, reflexão...Tempo de recolher-se. De espera, de menor movimento e mais silêncio. De revisitar crenças e ações. De olhar para si e para o outro.

Quarenta anos é o tempo que o povo de Israel esteve no deserto, na solidão, preparando-se e aguardando o momento de tomar posse da terra prometida. O povo aprendeu... História bíblica relatada no livro de Êxodo. O próprio Jesus experimentou 40 dias de solidão no deserto, uma solidão solidária. Se preparou para entregar-se por nós.

Quarentena é tempo de rever a rotina, de reinventar-se. Tempo de conversar consigo mesmo. Tempo de aprendizagem, de preparação e de entendimento do que nos é esperado, desejado. O que realmente nos importa. Qual caminho queremos seguir?

O outono permite renovação, mudança. No decorrer, os dias vão ficando menores do que as noites. O amanhecer, cada vez mais tarde e o anoitecer cada vez mais cedo. Muitas árvores perdem suas folhas, numa espécie de preparação para o que vem, no caso, uma nova estação, o inverno.

“São as águas de março fechando o verão

É a promessa de vida no teu coração”

Quem nunca cantarolou Jobim?!

Pois bem, curiosamente a canção “ Águas de março” foi motivada durante a construção da casa do compositor. As chuvas de março, na época, impediam o andamento da obra. Enquanto aguardava, na solidão da espera, rabiscou num papel de pão. O resultado desses rabiscos, bem conhecemos. Um clássico da música brasileira existe em razão de uma casa.

Casa, que engraçado!

É lá que o apelo pede para que fiquemos, no momento. Para que fiquemos, em casa!

A natureza está organizando a sua casa, nós podemos olhar para a nossa casa interna. Uma nova casa é possível!

Isolamento, momento de solidão?! Nesse instante que vivemos, a solidão de cada um torna-se solidariedade para com o outro. Isolar-se, agora, é um gesto de cuidado próprio e, principalmente, com os demais.

Não é solidão, mas sim conexão.

 

Elidiane Cristina Saueressig

23/03/2020

Horizontina/RS