• aanovo.png
  • BANNER.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

Classe contesta critérios de seleção do edital das lives

Publicado em: 26/06/2020

do Correio do Povo

 

 

 

Chamamento público do Banrisul para shows virtuais segue até 1º de julho, enquanto músicos e parlamentares questionam número de seguidores como influenciador de seleção

 
O edital público de seleção para o patrocínio de lives, de R$ 700 mil para 200 apresentações, lançado pelo Banrisul há uma semana está tendo um de seus critérios contestado pela classe musical. No item 7 do edital 001/20, o processo de seleção e de desempate será para proponentes que tiverem maior número de seguidores nas redes sociais. O presidente da Associação dos Músicos do Rio Grande do Sul (Assmurs), Rodrigo Lentino Machado, destaca que a entidade discorda dos requisitos para habilitação e valores do edital. “O edital é limitador em sua abrangência, pois na atual situação dos músicos em geral, com impedimento de seu exercício profissional, a Associação promoverá junto ao Banrisul a proposta de iniciativas assistenciais mais abrangentes para amparar a categoria”, diz. O deputado estadual e músico Luiz Marenco também não concorda com os critérios de seleção baseados no número de seguidores. “O Banrisul deve fazer pelas mais de 24 mil pessoas que vivem da cadeia produtiva da música e pelas mais de 130 mil pessoas que vivem da economia criativa no Estado, oferecendo uma linha de crédito com juros subsidiados e carência maior para pagamento”, afirma Marenco, que solicitou à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa o encaminhamento de um documento ao banco, solicitando reavaliação de critérios. Em nota, a Assembleia destacou que está encaminhando ao banco as demandas que vem recebendo dos músicos desde o início da semana.