• aanovo.png
  • BANNER.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

Novo pico de Covid-19 no RS tem recorde de internações

Publicado em: 19/02/2021

Foto: Robson da Silveira/PMPA
 
 

 

Ao amanhecer de mais um dia de publicação do mapa prévio do distanciamento controlado, o Rio Grande do Sul vê seu sistema de saúde próximo ao colapso. Com a disparada no número de casos e hospitalizações, o Estado inicia esta sexta-feira com menos de 500 leitos de tratamento intensivo livres, em razão do recorde de internações em UTI. Por ora, não há sinal de medidas mais restritivas por parte do governo estadual. 

E o problema não são apenas os leitos – mais vagas devem ser abertas nos próximos dias. Porém, com quase um ano no combate à pandemia, os profissionais de saúde estão cada vez mais desgastados. “O cenário que nos pega quase um ano depois é com equipes muito exaustas, em que vários de nós já perdemos amigos e familiares”, observou a diretora-presidente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Nadine Clausell, à Rádio Gaúcha.

Apenas ontem, o Rio Grande do Sul computou mais 130 óbitos relacionados ao coronavírus. O número, um dos mais altos já informados pela Secretaria Estadual da Saúde, corresponde a cerca de 1% de todos os óbitos no mundo na quinta-feira (11.391). E não há sinais de trégua, bem pelo contrário, conforme modelos matemáticos. Apesar de a Covid-19 ser mais letal em pessoas idosas, a média de idade de internações pela doença no RS já caiu quatro anos. Isso que, oficialmente, houve apenas um caso da variante mais transmissível em solo gaúcho até agora.

Fique atento – Neste momento, não adianta ir ao hospital por nada. Quatro instituições de Porto Alegre – São Lucas da PUCRS, Ernesto Dornelles, Hospital de Clínicas e Moinhos de Vento – já restringiram atendimentos por conta da nova onda da pandemia. O mesmo caminho deve ser tomado pelo Grupo Hospitalar Conceição hoje. Caso haja uma pessoa infectada na sua casa, considere ver esses gráficos sobre como agir e evitar a transmissão. 

Fonte: Matinal Jornalismo