• afena.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • limberg2.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

Mentira, religião e guerra (por Adalberto Paulo Klock*)

Publicado em: 15/01/2020

 

Trump foi manipulado. Mike Pompeo e Mike Pence são apocalípticos e acreditam ser somente possível Jesus voltar após apocalipse no mundo. Assim, Trump, com sua mente infantil, sequer sabia quem era o general iraniano Qasem Soleimani, mas foi induzido a assassiná-lo por seus conselheiros.

Soleimani era tão respeitado quanto o próprio Líder Supremo do Irã, e não só no Irã, mas também nos países lindeiros, onde foi fundamental na derrota do DAESH/ISIS, Al Qaeda, Al Nusra (organismos fundamentalistas e terroristas). Foi o principal libertador desses países de forças religiosas radicais e terroristas, os quais, muitas vezes, financiados pelos próprios americanos.

A história do Irã é um exemplo do que é o intervencionismo dos USA. A destruição da democracia no Irã foi fruto da intervenção americana em 1953. O Irã elegeu, em 1951 e em plena democracia, o primeiro-ministro Mossadeq que estatizou as empresas de petróleo inglesas e, por isso, sofreu golpe patrocinado pelos USA, a pedido dos ingleses. Assumiu o poder, então, o xá Mohamed Reza Pahlevi, com a benção dos USA e ingleses, e foi um ditador terrível, assassino, carniceiro e torturador até 1974, De 1953 a 1974 os USA não se importaram com o fim da democracia e os atos criminosos, assassinos e de miserabilização do povo do Irã. Era a Pax American aplicada. Porém, em 1974 a situação era absolutamente insuportável, e o povo derrubou o xá e investiu um líder religioso – o xá Pahlevi fugiu para os USA.

O General Soleimani foi assassinado pelos americanos no dia 03/01/2020. Ele foi induzido a uma cilada por mentira plantada pelos americanos. A situação no Oriente Médio estava, e hoje mais, se tornando tão perigosa que o Iraque convidou (a pedido dos americanos) o Gal. Soleimani para discutir proposta de paz. Soleimani viajou em avião de carreira, ou seja, civil, com passaporte diplomático, a convite do Primeiro Ministro Iraquiano para conversa diplomática. Os americanos o esperam para lhe atocaiar e matar. Mas isso só foi possível no Iraque sob controle americano, pois no Irã o drone seria abatido.

Foi assassinato! Dá medo pensar em um estado terrorista que planeja matar pessoas, inclusive sob proteção diplomática, por serem de outro país ou a eles se oporem.

Trump, que deu a ordem para o assassinar, não tinha, com certeza, noção do que fazia.

E a retaliação do Irã a duas bases militares americanas, em pleno funcionamento no Iraque, demonstrou estarem os americanos sem defesa contra os mísseis iranianos. O sistema de mísseis americano Patriot, vendido como belezura, foi de total inoperância. Trata-se de grande porcaria que não conseguiu impedir sequer único míssil iraniano de atingir seu alvo. E isso implica na desproteção de Israel e Dubai, aliados dos americanos no Oriente Médio, pois protegidos por esses mísseis.

Os iranianos não têm armas nucleares. Porém, podem produzir a detonação ‘nuclear’ econômica do mundo, fechando o Estreito de Ormuz com minas submarinas de baixo custo.

O ataque americano nada mais foi do que ato de estado assassino, terroristas, o que é proibido nos USA desde a década de 80. É a figura típica de império decadente.

Os USA participaram de quase todas as guerras do Mundo desde 1940. Afora terem praticado muitas dezenas de golpes de estados pelo mundo, implantando sua Pax American, normalmente com o fim da democracia nesses países e mortes, torturas, violência e pobreza.

O discurso de Trump, em 08/01/2020, foi ao eleitor de fundo de grota, com baixa instrução e evangélico, para quem ele disse: mataram um terrorista; aplicarão mais sanções; não precisam do petróleo do Oriente Médio; quem combaterá terrorista é a OTAN (tirou o corpo fora) e, estranhamente, não falou de Israel. Disse também que o objetivo comum de Irã e USA é terminar com o terrorismo.

Porém, os USA mataram o principal combatente do terrorismo, o general Soleimani. Sobre o petróleo eles têm razão, não precisam mais do petróleo do Oriente Médio, eles têm o petróleo brasileiro e, daqui a pouco, o da Venezuela.

Os USA passaram do ponto, como de regra fazem, mas dessa vez podem ter dano grave, pois o Irã poderá causar estragos aos USA, além de arruinar sua economia com o fechamento do Estreito de Ormuz. Essa guerra nada tem a ver com terrorismo, salvo do Estado Terrorista, mas com pura e singela falta de senso, conhecimento ou respeito pelos outros: nós os bárbaros não americanos.

Nesse momento o Irã saiu vencedor, mas os USA não deixarão barato. Aguardemos os próximos passos do Estado Terrorista.

Crash à vista

A extraordinária fuga de capital da Bolsa de Valores no segundo semestre de 2019, com a grande valorização, dá sinais de que o limite da Bolsa chegou. O capital internacional veio aqui e ganhou na especulação, agora abandona o barco. Só não quebrou pelas reservas deixadas pelo governo Lula/Dilma.

Em 1929 a Bolsa de Valores americana também apresentava recordes de valorização, pelo investimento dos mais singelos cidadãos americanos. Ou seja, o iludido e humilde cidadão investiu seu dinheirinho na Bolsa e, quando o crash veio, perderam tudo.

Aos pequenos investidores: fujam da bolsa!

 

*Adalberto Paulo Klock é servidor público.

 

  • bancarios-sindicato20160328.png
  • cprgsbannerl.png
  • d90d1784-7bef-4709-89cc-43a0c1bbea83.jpg
  • e9aa0085-5706-4b39-b64a-277c478a7fcb.jpg
  • servidores-municipais-logo250-201902.jpg
  • sindisaude.png
  • SitioMargarida200x200-20171116.jpg
  • 16f338d8-07ee-4170-b637-5f81d690af77.jpg
  • 69ec07e2-3820-4b13-becd-833c1be37021.jpg
  • baixo.png
  • bannersimpro2.png
  • CafePequeno20151016-164x164.jpg
  • jadlog20170906.gif
  • limberger-advocacia-250-20171108.jpg