• aanovo.png
  • BANNER.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

Livros e mesa de bar (por Adalberto Paulo Klock)

Publicado em: 03/08/2020

Livros e mesa de bar

 

Despeça-te agora,

Depois dificilmente poderá,

Pois o sono induzido

Em coma o deixará,

E de tudo lá fora

Você se alienará.

E deitado de bruços

A vida de seu corpo

Lentamente se esvairá.

E não será igual a roda

Em uma mesa de bar.

 

No leito frio e duro,

Dói músculos e osso,

Na jornada forçada

Do oxigênio ao pulmão

Para o coração não parar.

Tudo é dor e de bruços,

E não é numa mesa de bar.

 

O zumbido das máquinas

Fazem as coisas funcionar.

O enfermeiro cuida

Para você não parar

E o oxigênio bombear.

E correm entre mesas,

Que leitos foram apelidar.

O leito recebe o corpo

Que tentam salvar,

Mas, deitado de bruços,

Com dor nos ossos, na carne

E no ar, quando vem a faltar,

Pois, enfim, não é uma mesa de bar.

 

A família lá fora,

Nem tchau pôde dar,

Naquela sala fria

Muitos foram passar

E poucos conseguiram voltar.

Sem despedida, só choro ou consolo

De quem mal se pôde enterrar.

E tudo na presença daqueles

Que uma guerra tentam travar,

Mas sabem, os brancos soldados,

Contra o vírus

Nem armas vão lhes dar.

E nessa luta inglória,

A política da ignorância

Muitos deles matará,

Pois lutam nesse lugar,

 Que não é numa mesa de bar.

 

Triste é o choro

De quem nunca mais

Se poderá consolar.

E mais triste e saber agora,

Que nessa mesa de UTI

Rápidos foram a te despejar,

Por outros precisar

Para tubos na garganta enfiar.

Enquanto as famílias lá fora,

Sem despedir ou visitar,

Só lhes cabe chorar

Tanta morte de gente querida

Que mal podem enterrar

E precoce foi terminar

 

E para aqueles que não sabem

A causa para a mortandade parar,

É porque só lhes coube aprender

Pela TV, fakes e numa mesa de bar.

 

Pare, pense, e vá estudar,

Ler livros, artigos e pesquisar,

A civilidade exige pensar

E aprender a ciência cultuar

Para poder a ignorância afastar.

Não se deixar enganar

E erros de novo praticar,

Pois a vida pode ser bela, rica e feliz,

Mas, para isso precisa entender:

Que escolhas trazem consequências

Que podem pôr tudo e todos a perder.

 

                         Adalberto Paulo Klock

                                        03/08/2020, às 02h30

 

*Adalberto Paulo Klock é servidor público. Escreve semanalmente para a Revista Afinal.

 

  • bancarios-sindicato20160328.png
  • cprgsbannerl.png
  • d90d1784-7bef-4709-89cc-43a0c1bbea83.jpg
  • e9aa0085-5706-4b39-b64a-277c478a7fcb.jpg
  • servidores-municipais-logo250-201902.jpg
  • sindisaude.png
  • SitioMargarida200x200-20171116.jpg
  • 16f338d8-07ee-4170-b637-5f81d690af77.jpg
  • 69ec07e2-3820-4b13-becd-833c1be37021.jpg
  • baixo.png
  • BANNERL.png
  • bannersimpro2.png
  • CafePequeno20151016-164x164.jpg
  • jadlog20170906.gif