• aanovo.png
  • BANNER.png
  • bannereich.png
  • comercio3.png
  • fabianetopo.png
  • gersoncpers.png
  • hermes2.png
  • jadlg.png
  • ponto10d.png
  • seeb.png
  • simpro.png
  • sind.png
  • sindis.png

E se...? (por Adalberto Paulo Klock)

Publicado em: 11/08/2020

 

 

 

 

 

 

- Socorro! Socorro! Ajudem-me! Socorro!

Gritava o filho e o pai foi desesperado socorre-lo. Chegando lá, tratava-se de mentira, uma peça do filho para “trolar” o pai. Qual a resposta clássica do pai?

- Filho, não faças isso. Se ficas a brincar e enganar, quando realmente estiveres em perigo ninguém virá. Perderás a credibilidade e isso pode te ser fatal.

Essa lição da infância viveu todo aquele que teve um pai educador. Mas, refiro a essa experiência para expor um exemplo gigantesco atual. Vejam:

A Globo tanto mentiu, tanto enganou o povo e criou a figura ignóbil do Moro (notório ignorante jurídico, social e político) e Dalagnois com o discurso do combate a corrupção, discurso esse que enganou até pessoas ditas letradas e de altos cargos na elite cultural, jurídica e social do país. É difícil esquecer, à época, um promotor de justiça de Santa Rosa que, aos gritos em rádio local, chamava os deputados do PT de bandidos por acusarem a Lava Jata (Moro e Procuradores) de agirem ilegalmente e abusivamente (o tempo demonstrou quem estava certo e, até hoje, não houve pedido público de desculpas – poderia ser, também, aos gritos de vergonha).

Mas, o pai-de-todos os propagadores de mentiras foi a Globo. Por isso que hoje editoriais e programas, mesmo o esclarecedor editorial feito pelo Jornal da Globo do dia 08/08/2020, não repercutem mais na sociedade, pois os ainda bolsonaristas não se importam com mortes, corrupção ou destruição de seu país, desde que o governo seja de direita ou, de preferência, de extrema-direita, e os ex-bolsonaristas não mais acreditam na Globo, por ter-lhes enganado e tratado como gado bovino. A esquerda, por sua vez, sempre soube que a Globo era mentirosa, golpista, entreguista e alienadora do povo. Por isso nela também não fia ou dá valor às suas opiniões.

Isso me põe a pensar: Qual seria a nossa realidade se eleito Haddad em 2018?

1 - Iniciaria com a dificuldade de Haddad assumir. Os militares ameaçariam e, com certeza, iriam à luta contra a vontade do povo com as armas que o povo lhes confiou. Militares aqui sempre foram políticos e golpistas contra o povo brasileiro (a história é rica de exemplos). Gostem ou não, essa é a realidade, são golpistas de direita.

2 - Os Tribunais até hoje não teriam compreendido o mal que fizeram ao País, pois o Brasil poderia ainda estar funcionando e crescendo e, portanto, continuariam os Tribunais golpistas inconsequentes como foram praticamente TODOS durante o governo Dilma, e alguns continuam até hoje.

3 - A Lava Jato e Moro estariam prendendo e fazendo delações mentirosas extraídas em seus calabouços. Toda sexta-feira operações com cobertura da Globo e em conluio com o governo americano para destruir as empresas nacionais e o próprio país.

4 - Os chamados “homens de bem” estariam na rua protestando, a pedido da Globo, pela implantação de uma ditadura, fazendo quebra-quebra com apoio da Globo, dos militares, dos políticos de direita, dos interesses dos Estados Unidos e de todas as demais grandes mídias. Os ladrões e corruptos, desmascarados atualmente pela guerra existente na extrema direita, estariam na rua gritando “Chega de corrupção”.

5 - E com a chegada da pandemia, qual seria o número necessário de mortes para reunir dois milhões de “homens de bem” na Avenida Paulista? Acredito que, no máximo, dez mil mortes e o governo de Haddad cairia, mesmo que estivesse fazendo todo o possível para impedir as mortes e não, simplesmente, se omitindo e ridicularizando o combate à pandemia, como faz Bolsonaro. E mesmo o país crescendo, Haddad e a esquerda seriam tratados, pelos “homens de bem” e a imprensa marrom, como genocidas por toda a eternidade por ter o Brasil alcançado 10 mil mortes.

..................

A realidade hoje, com Bolsonaro, é pura tragédia. O país faliu, cobrindo déficit fiscais com venda de patrimônio, e só não recorreu ao FMI porque o Governo Lula e Dilma deixaram uma reserva financeira que poucos países tinham ou têm.

Portanto, se Haddad tivesse ganho a eleição de 2018, provavelmente o país estaria em guerra civil provocada pelos militares sempre golpistas e aliados à direita e aos chamados “homens de bem”. E o mais importante, não teríamos compreendido como há falta de cultura e civilidade ao Brasil e o quanto a nossa civilidade brasileira é atrasada.

 

*Adalberto Paulo Klock é servidor público. Escreve semanalmente para a Revista Afinal.

  • bancarios-sindicato20160328.png
  • cprgsbannerl.png
  • d90d1784-7bef-4709-89cc-43a0c1bbea83.jpg
  • e9aa0085-5706-4b39-b64a-277c478a7fcb.jpg
  • servidores-municipais-logo250-201902.jpg
  • sindisaude.png
  • SitioMargarida200x200-20171116.jpg
  • 16f338d8-07ee-4170-b637-5f81d690af77.jpg
  • 69ec07e2-3820-4b13-becd-833c1be37021.jpg
  • baixo.png
  • BANNERL.png
  • bannersimpro2.png
  • CafePequeno20151016-164x164.jpg
  • jadlog20170906.gif